APRESENTAÇÃO
_____________________________________________________________________________________________

A Igreja do Concílio Vaticano II, numa “renovada efusão do Espírito de Pentecostes, amadureceu uma consciência mais viva da sua natureza missionária e ouviu de novo a voz do seu Senhor que a envia ao mundo como sacramento universal de salvação... Ide vós também. A chamada não diz respeito apenas aos Pastores, aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, mas estende-se aos fiéis leigos: também os fiéis leigos são pessoalmente chamados pelo Senhor, de quem recebem uma missão para a Igreja e para o mundo... De um modo especial o Concílio, com o seu riquíssimo patrimônio doutrinal, espiritual e pastoral, dedicou páginas maravilhosas à natureza, dignidade,espiritualidade,missão e responsabilidade dos fiéis leigos. E os Padres conciliares, feitos eco do chamamento de Cristo, convidaram todos os fiéis leigos, homens e mulheres, a trabalhar na Sua vinha...

Trabalhadores da vinha são todos os membros do povo de Deus... todos e cada um trabalham na única e comum vinha do Senhor com carismas e com ministérios diferentes e complementares... O estado de vida laical tem na índole secular a sua especificidade e realiza um serviço eclesial ao testemunhar o significado que as coisas terrenas e temporais têm no desígnio salvífico de Deus.”(Exortação Apostólica Christifideles Laicide João Paulo II sobre a Vocação e a Missão dos Leigos na Igreja e no Mundo. Roma, 30 de dezembro de 1988).

A comunhão vivida na comunidade educativa, animada e apoiada por leigos e consagrados plenamente unidos na mesma missão, faz da escola católica um ambiente comunitário imbuído de espírito do Evangelho. Mas, este ambiente comunitário configura-se como lugar privilegiado para a formação das jovens gerações para a construção de um mundo fundado no diálogo e para a busca da comunhão, mais do que na contraposição; na convivência das diferenças e não na oposição. Desta forma, a escola católica, inspirando o seu projeto educativo na comunhão eclesial e na civilização do amor, pode contribuir em grande medida para iluminar a mente de muitos, para que surjam homens verdadeiramente novos, artífices de uma nova humanidade”. (Congregação para a Educação Católica. Educar juntos na escola católica missão partilhada de pessoas consagradas e fiéis leigos. Roma, 8 de setembro de 2007).

O texto conclusivo da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe – 13 a 31 de maio de 2007 – Documento de Aparecida, na página 264 diz que “Nesta hora em que a Igreja deste Continente se entrega plenamente à sua vocação missionária, lembro aos leigos que são também Igreja, assembléia convocada por Cristo para levar seu testemunho para o mundo inteiro.
... Devem sentir-se co-responsáveis na construção da sociedade segundo os critérios do Evangelho, com entusiasmo e audácia, em comunhão com os Pastores... 
... São chamados para levar ao mundo o testemunho de Jesus Cristo e ser fermento do amor de Deus na sociedade.”

Na mensagem dirigida aos leigos por ocasião do Capítulo Geral XIX, em Roma, no ano de 2003, as Irmãs Doroteias da Frassinetti, movidas pelo Espírito Santo, se pronunciaram: “Reconhecemos, com profunda alegria e gratidão, a presença ativa e o compromisso de todos no caminho percorrido, sobretudo no interesse pelo estudo dos documentos das nossas origens que suscitou, em muitos, o desejo e o entusiasmo pela espiritualidade de Santa Paula...estamos certas de que, em todos os ambientes em que nos encontramos, continuaremos, com a mesma paixão educativa, a viver e a trabalhar juntos, para que, como Família de Paula, possamos ser presença-palavra-ação transformadora e significativa no mundo ferido de hoje”.

Em 2009, no XX Capítulo Geral, a Congregação reassume, numa nova perspectiva, a partilha do Carisma de Paula Frassinetti com os Leigos e com as Leigas, consciente de que “o Carisma não é apenas pertença da Congregação, mas um dom à Igreja para o mundo, para quem nele encontra uma fonte de inspiração para descobrir e assumir a sua vocação laical na Igreja”.

Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores surge, então, neste ano de 2011, proveniente da necessidade de, como Família Doroteia, organizarmo-nos mais sistemática e academicamente para a formação continuada dos leigos das escolas da Província Brasil-Sul com o intuito de, perfilados no Carisma de Paula Frassinetti, darmos continuidade à Missão das escolas, com excelência acadêmica e coerência na opção de Escola Católica.

Portanto, a proposta da Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores é constituída:

  • de um itinerário de formação, composto de três etapas que buscam favorecer a integração, a inserção, e a opção dos leigos na missão educativa doroteana. Estas etapas são desenvolvidas nos níveis local e provincial. São elas:

- Primeira etapa – À Luz do Farol - nível local
- Segunda etapa – À Sombra do Frássino - nível local
- Terceira etapa – À Beira do Poço - nível provincial

  • e um processo gradual de aprofundamento no qual o leigo é protagonista de sua própria formação, assumindo a sua missão de educador doroteano;
  • e uma experiência pessoal e comunitária de fé na qual  e pela qual fortalece e confirma a sua pertença à Família Doroteia.

Escola para a Formação Permanente de Leigos Educadores pretende ser um instrumento de pesquisas, estudos, troca de ideias, reflexão, que favoreça o conhecimento sobre a identidade do Carisma de Paula Frassinetti, que defina, com clareza, a vocação do Leigo Doroteano.

..........................................................................................................................................................................................

 

   
Escolas da Província Brasil -Sul

Colégio Santa Dorotéia de Belo Horizonte


Congregação de Santa Dorotéia do Brasil - © Copyright - Todos os direitos reservados.
Web interface - Depto. Informática e Novas Tecnologias - Colégio Santa Dorotéia de Belo Horizonte