Bibliografias
NOTÍCIAS
_____________________________________________________________________________________________

Formadores do Colégio Anjo da Guarda promovem vivência
do Tríduo Pascal e da Páscoa do Senhor com Educadores

publicado em 17.5.22
..........................

Às vésperas do início da Semana Santa, no dia 09 de abril, os educadores do Colégio Anjo da Guarda puderam antecipar, num momento de oração e espiritualidade litúrgica, os momentos mais marcantes das celebrações da Semana Maior e, em especial, do Tríduo Pascal, o qual constitui o centro de toda a vida do Senhor pela salvação da humanidade, e também da vida e da liturgia cristã.
De modo simples e orante, o objetivo dessa manhã foi fazer com que os educadores pudessem participar de uma celebração que contivesse pelo menos os principais momentos desta Semana, sobretudo do Tríduo Pascal, para entenderem seu sentido à luz da Páscoa de Cristo. Vale ressaltar que esse momento apresentou a Páscoa em suas três dimensões: a Páscoa do amor e do serviço (Eucaristia e lava-pés – Quinta-feira Santa); do sacrifício (Paixão e Morte – Sexta-feira Santa); e da Glória (Ressurreição – Sábado Santo e Domingo de Páscoa). A celebração foi conduzida de modo a evidenciar essa tríplice dimensão de um mesmo mistério de amor.

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor
A celebração de Ramos marca o início da Semana Santa, lembrando a entrada triunfal do Senhor na Cidade Santa para sofrer sua Paixão. Aclamado com ramos e “hosanas”, o Senhor ingressa em Jerusalém, montado em um jumentinho.

Quinta-feira Santa
É o primeiro dia do Tríduo pascal. Esse dia é marcado pela missa da ceia do Senhor e do lava-pés. Estão bem presentes as memórias da páscoa judaica, que se constituía uma passagem da escravidão para a terra prometida, mas, sobretudo a páscoa cristã, que é a passagem da paixão e morte para a ressurreição do Senhor. A instituição da eucaristia está bem presente na Carta de São Paulo aos Coríntios. Jesus tomou o pão e, depois de dar graças disse: ‘tomai e comei’. Com o cálice com vinho disse: ‘tomai e bebei, fazei isto em memória de mim’, do Senhor (1 Cor 11, 23-26). O evangelista João não colocou as palavras da última ceia, no pão e no vinho doados para todos os seres humanos pelo Senhor Jesus, mas sim ele mencionou o lava-pés. O lava-pés aludiu à atitude de Jesus que sendo Mestre e Senhor ensinou a todos a importância do serviço, de se lavar os pés uns dos outros, de buscar uma vida de pessoas serviçais, sempre prontos a ajudar os outros, para que todas as pessoas cumpram uma missão de servir, diante do povo e diante de Deus.


Sexta-feira Santa
É o segundo dia do tríduo pascal. É o dia da cruz redentora. As atenções são voltadas à paixão, morte do Senhor pela salvação da humanidade. O seu sofrimento é um sofrimento redentor, para redimir o ser humano do pecado e da morte. É um dia sem os sacramentos. Deste modo no dia em que as atenções estão voltadas para o sacrifício de Cristo na cruz, a Liturgia não celebra a missa, mas é dada uma evocação da morte do Senhor. É um dia de silêncio, de recolhimento, de jejum, de abstinência de carne. Faz-se, neste dia, a memória da morte do Senhor e o rito de adoração da Santa Cruz.

Sábado Santo
É o terceiro dia do Tríduo Pascal. Jesus desceu à mansão dos mortos e triunfou sobre a morte. É o dia da vigília pascal, na espera da ressurreição do Senhor Jesus Cristo. A comemoração da Ressurreição do Cristo ocorre desde a mais remota memória da Tradição, porque na noite de sábado para domingo, sendo este o primeiro dia da semana, o Senhor já não está mais no sepulcro, mas ele está vivo e ressuscitou dos mortos (Mt 28, 6-7; Jo 20,1-10). A Tradição cristã associou a noite da Ressurreição à noite da Páscoa descrita em Ex 12,42, uma noite de vigília em honra do Senhor. Cristo que morreu, mas sua morte é como sono do qual despertará na manhã da Páscoa da ressurreição.

Domingo da Páscoa
Neste domingo, comemoramos a Páscoa do Senhor Jesus Cristo. Ela era considerada desde o início a grande festa, que norteava toda a vida cristã. Esta é a mais importante do ano litúrgico, aquela que dá sentido pleno. Celebramos a ressurreição de Jesus. É uma festa de luz; o Senhor ressuscitado nos ilumina, coloca em nossos corações uma imensa alegria, uma esperança, e nos enche também de amor. Nós celebramos a eucaristia do Domingo de Páscoa, na qual a mensagem central é: Cristo ressuscitou dos mortos.



 

 

 
 
 


Congregação de Santa Dorotéia do Brasil - © Copyright 2022 - Todos os direitos reservados.
Web interface - Depto. Informática e Novas Tecnologias - Colégio Santa Dorotéia de Belo Horizonte